Michael Tatsch. Foto: Luiz Munhoz / Ulbra.

A Kbase, empresa de software e outsourcing de TI fundada em Esteio, na região metropolitana de Porto Alegre, anunciou sua ida para o Ulbratech, parque tecnológico da universidade localizada no município vizinho de Canoas.

A empresa finalizou a sua instalação no parque no início de setembro, passando a contar com uma área de 350 metros quadrados para a sua equipe de 40 pessoas, com capacidade para chegar imediatamente a 56. 

Conforme explica Michael Tatsch, gerente de clientes da Kbase, antes de ir para o Ulbratech a empresa se dividia em diversas salas comerciais em diferentes prédios em Esteio, o que afetava a produtividade da companhia, que em 2013 registrou cerca de 50 mil horas trabalhadas, atendendo a cerca de 80 clientes.

A empresa não divulga valores de faturamento, mas é certificada MPS.BR nível G e uma das maiores parceiras da Progress em desenvolvimento e tem entre seus clientes empresas como Angeloni, Bausch & Lomb, Braskem, Soprano, Tondo, Thyssen Krupp e Universal Leaf Tabacos.

“Há cerca de dois anos, estabelecemos o planejamento de buscarmos um ambiente em que pudéssemos reunir a nossa equipe em um ambiente otimizado. No início do ano iniciamos as tratativas com a Ulbra e fechamos o acordo em abril”, afirma Tatsch.

Agora, já estabelecidos no parque, o próximo passo da empresa é traçar sua estratégia de crescimento, que inicia a partir do próximo ano. De acordo com Tatsch, a empresa ainda está em estudo dos planos e metas para este crescimento.

"Nosso plano até agora era criar um ambiente propício e altamente produtivo, o que conseguimos com esta vinda para o parque. Agora passamos para a proxima fase, que é trabalhar no crescimento da companhia", destaca o gerente.

Uma das metas já previstas por Tatsch é investir na parte de fabricante de software da companhia, que atualmente tem mais da metade de seu faturamento proveniente de serviços de outsourcing.

Criado em 2012, o Ulbratech conta atualmente com oito companhias instaladas: além da Kbase, as TICs do parque são Creare, Egsys, Getway, Avacon. Em sua incubadora, o parque tem as TICs Gobyz e Produção do Brasil, assim como a Premium, empresa de consultoria,  desenvolvimento, capacitação e representação em petroquímica.

Segundo a coordenação do parque, o Ulbratech está atualmente em fase de negociação o contato com duas empresas para o parque e uma para a incubadora. 

Para o ano de 2015 tem-se a expectativa de preenchimento de todo o espaço da primeira fase do parque, que se concentra no prédio 16 do Campus Canoas.

Atualmente o parque tem uma área de 6 mil metros quadrados, com capacidade de receber cerca de dez empresas em sua primeira fase. A segunda fase é trazer mais startups para a incubadora, cujo prédio já está construído.

Embora esteja na ativa desde 2012, o Ulbratech passou por atrasos em seu desenvolvimento no último ano. Questões burocráticas e de liberação do prédio devido à mudanças de regulamentação no Plano de Proteção contra Incêndios (PPCI), foram alguns destes entraves.

"Entretanto, nossa expectativa é de que no segundo semestre tudo esteja resolvido e daí estaremos liberados para fazer uma divulgação mais ampla para convidar empresas a nos conhecerem", afirmou Anderson Yanzen, gerente da incubadora Ulbratech, em entrevista ao Baguete em maio deste ano.