Governo afloxou regras de uso do FGTS. Foto: flickr.com/photos/82289802@N00.

O governo federal elevou o teto dos imóveis que os contribuintes podem comprar com o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Desde 2009 o valor era de R$ 500 mil, agora passou para R$ 750 mil para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal e R$ 650 mil para os outros estados. 

A medida vale para compras à vista e financiamentos dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Os custos imobiliários mais elevados nos estados citados foi o motivo da diferenciação do limite.

Essa mudança, que entra em vigor nesta terça-feira, 1º, é reivindicada há pelo menos dois anos pelos bancos e pelo setor de construção.  

A elevação ocorreu para corrigir a inflação acumulada, que variava de 22% a 29% dependendo do índice. 

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou também que o financiamento não pode ser superior a 80% do valor do imóvel, o que antes chegava a 90%. Agora atinge esse valor apenas os financiamentos com o uso do Sistema de Amortização Constante (SAC), em que as parcelas pagas no início do contrato são maiores e vão reduzindo com o passar do tempo.