Hamilton Mourão.

O presidente do Clube Militar, general da reserva Hamilton Mourão (PRTB), é o convidado da próxima reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), na segunda-feira, 06 de agosto, às 12h.

Mourão, que vai falar sobre o tema “Os desafios de uma Nação”. 

Não que o tema da palestra seja lá muito importante: o evento da CIC é uma ocasião para conferir ao vivo um dos prováveis candidatos a vice da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

O nome de Mourão como vice de Bolsonaro voltou a circular nesta semana, depois que dirigentes do PSL se reuniram com o presidente do partido, Levy Fidelix.

Como todos os outros candidatos, Bolsonaro está encontrando dificuldades para achar um vice. Janaína Paschoal, uma das advogadas mentoras do impeachment de Dilma Rousseff (PT), chegou a despontar, mas se inviabilizou depois de declarações na convenção do PSL sobre o “fanatismo” em torno de Bolsonaro.

Mourão fez algo parecido: ele disse ao Estado de São Paulo considerar "meio boçal" o radicalismo de alguns apoiadores do candidato a presidente do PSL.

Na última sondagem do Ibope, divulgada em 29 de junho, o Bolsonaro apareceu em primeiro lugar no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com entre 17% e 19% das intenções de voto. 

Como a margem de erro é de três pontos porcentuais, ele está empatado tecnicamente com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que obteve 15% das preferências. 

No cenário com Lula, o líder petista chega a 24% das intenções, contra os mesmos 17% de Bolsonaro e 13% de Alckmin.