Ana Paula Assis, gerente geral da IBM América Latina. Foto: divulgação.

A IBM anunciou que vai realocar o tempo de seus funcionários para realizar um serviço de consultoria voluntário para o Governo do Estado de São Paulo por conta da pandemia de Covid-19.

Segundo a empresa, a ideia é promover o desenvolvimento de um ecossistema que possibilite a transferência de conhecimento científico, tecnológico e cultural entre os setores público e privado.

Para isso, a IBM ajudará nas próximas etapas do projeto InovaHC, um movimento para incentivar a inovação dentro e fora do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Além disso, os consultores apoiarão o design, o planejamento e os recursos necessários para escalar um piloto para acelerar a adoção de novas tecnologias, como IoT, blockchain e cloud por pequenas e médias empresas do estado.

As ações fazem parte das mais de 26 mil horas de trabalho voluntário prestadas pelos funcionários da IBM na América Latina. Eles estão usando a tecnologia para auxiliar instituições educacionais, ONGs, governos e empresas.

Considerando uma jornada de trabalho individual de 8 horas por dia, 5 dias por semana, as horas empregadas equivalem a 12 anos de trabalho contínuo.

O tempo de voluntariado está sendo dedicado principalmente a programas de treinamento para professores e alunos, tradução de conteúdo, consultoria de negócios, desenvolvimento e adaptação de soluções que usam IA, cloud ou blockchain e orientação on-line.

"Nesses momentos sem precedentes, como o que estamos vivendo, tenho orgulho de que os 'IBMistas' tenham se unido para colaborar com nossa comunidade, possibilitando o uso da tecnologia, fornecendo recursos, experiência, tempo e dedicação para fazer a diferença para os cidadãos e para nossa sociedade", ressalta Ana Paula Assis, gerente geral da IBM América Latina. 

Globalmente, a IBM está disponibilizando a solução Watson Assistant for Citizens de forma gratuita para ajudar governos e entidades a responder perguntas frequentes sobre a Covid-19.

Para oferecer a solução na América Latina, os especialistas da IBM dedicaram seu tempo a treinar o assistente virtual nos idiomas locais, incluindo informações importantes para os cidadãos sobre cada cidade ou país.

Atualmente, o Governo Nacional da Colômbia e a Sociedade Mexicana de Pneumologia e Cirurgia Torácica são algumas das instituições que já lançaram a solução.

Na educação, a IBM se uniu à Cisco para as instituições educacionais da região continuarem com suas aulas regulares usando a plataforma Cisco WebEx.

Mais de 1,1 mil funcionários da IBM ministraram aulas para mais de 9,3 mil professores para que eles pudessem tirar o máximo proveito da plataforma, além da empresa oferecer ajuda telemática em tempo real para resolver quaisquer questões ou problemas técnicos. 

Além disso, os voluntários da IBM desenvolveram atividades relacionadas ao avanço do programa Open P-Tech na América Latina, como a criação do plano de atividades, webinars, desenvolvimento de vídeo e tradução de conteúdo, de acordo com as necessidades da região.

Trata-se de uma plataforma gratuita de educação digital, disponível em espanhol, português e inglês, com o objetivo de oferecer a jovens e educadores treinamento em segurança cibernética, inteligência artificial e computação em nuvem, além de habilidades profissionais como redação de currículo e entrevistas.

Atualmente, mais de 13,4 mil estudantes estão registrados na plataforma na América Latina.