José Antonio Fechio.

A Algar Tech, empresa de de TIC e BPO do grupo brasileiro Algar, fechou o ano passado com uma receita bruta total de R$ 905,2 milhões, uma alta de 13% frente aos resultados de 2014.

O resultado representa uma desaceleração frente ao crescimento registrado em 2014, na casa dos 44,6%.

Naquele ano, no entanto, a companhia incorporou o faturamento da  Asyst, empresa adquirida por R$ 103 milhões no início de 2014. O faturamento da Asyst em foi de R$ 125 milhões em 2011, último ano com dados disponíveis.

Em sua divulgação de resultados, a Algar Tech disse que as receitas de TI já representam 52% da receita total do negócio. 

A companhia também diz que os resultados incluem vendas feitas para outras divisões do grupo Algar, mas não revela qual é o peso delas no valor total.

O Grupo Algar tem negócios diversificados, desde a produção de soja até um parque aquático, passando por venda de produtos de consumo no Nordeste, mas tecnologia vem ganhando importância no mix.

“Em 2016, a Algar Tech pretende manter um ritmo de crescimento acima do mercado, por meio do fortalecimento de portfólio e sua capacidade de oferecer soluções fim a fim para o ciclo de vida do cliente, desde infraestrutura de TI até a transformação digital no relacionamento com o consumidor”, aponta José Antonio Fechio, presidente da Algar Tech.

Fechio também destaca que a companhia “continua visualizando oportunidades para expansão internacional e a recuperação econômica na América Latina pode impulsionar esse movimento”.

A companhia atua em 100% da América Latina com 73 escritórios no Brasil, além das unidades na Colômbia, Argentina e Chile, totalizando 4.100 cidades na América Latina. A empresa tem 14 mil profissionais.