O Nubank levantou US$ 150 milhões em uma nova rodada de investimentos. Foto: Divulgação.

O Nubank, startup de serviços financeiros, levantou US$ 150 milhões em uma nova rodada de investimentos. O aporte foi liderado por DST Global, com a participação de Founders Fund, Redpoint Ventures, Ribbit Capital e QED, que já eram investidores, e os entrantes Dragoneer Investment Group e Thrive Capital. 

O DST também liderou a rodada de investimento anterior do Nubank, em dezembro de 2016. 

Ao todo, o Nubank captou quase US$ 330 milhões em seis rodadas de investimento desde que foi fundado, em 2013. 

Com o novo aporte, o Nubank se torna o novo unicórnio do Brasil, ao receber um valuation de US$ 1 bilhão. Enquanto a empresa se mantém brasileira, o 99 alcançou essa avaliação no começo do ano com sua venda para a chinesa Didi Chuxing. O PagSeguro, ligado ao grupo UOL, também foi avaliado em mais de US$ 1 bilhão em 2018.

"O Nubank já gera caixa operacional desde o ano passado, então o objetivo da captação não é operacional, e sim garantir alavancagem financeira para suportar o acelerado crescimento que temos visto desde o nosso lançamento", explica David Vélez, fundador e CEO da empresa.

Em menos de quatro anos, mais de 13 milhões de brasileiros fizeram a solicitação para se tornar clientes do Nubank.

Para os próximos anos, o objetivo da empresa é expandir a oferta de produtos. Recentemente, a startup lançou em fase de testes a modalidade NuConta, ampliando sua atuação para além do fornecimento e gestão de cartão de crédito. Além disso, a empresa iniciou o programa de benefícios Nubank Rewards.

"No ano passado, o Nubank lançou uma série de novos produtos e ultrapassou três milhões de clientes ativos usando apenas indicações da sua fiel base de clientes. Estamos empolgados em continuar nossa parceria com o David e o time do Nubank conforme eles revolucionam o futuro dos serviços financeiros no Brasil", revela Tom Stafford, managing partner da DST Global.