Perfis no Sisu foram alvo de hackers. Foto: Divulgação.

Uma falha de segurança no login do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação, tornou pelo menos dois participantes da edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) um alvo fácil para piadas de mau gosto de um grupo de hackers.

O sistema do Ministério da Educação exige CPF, nome da mãe, residência e data de nascimento como informações para gerar uma nova senha. 

Os dados podem ser obtidos em bancos de dados públicos, como o sistema de cadastros do SUS, redes sociais e informações de concursos públicos.

Tereza Gayoso, de 23 anos, nota máxima na redação do exame e que pretendia cursar medicina, acabou inscrita por invasores da sua conta no curso de Produção de Cachaça do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais.

Thales Maciel Voltolini, de 21 anos, é outro que diz ter sido prejudicado pela ação e já lançou no Facebook a hastag #ResolveMEC estimulando outras vítimas a relatarem seus casos.

Em nota, o Ministério da Educação frisou que os seus sistemas não foram invadidos e que “casos pontuais de acesso indevido” foram promovidos por “alguém que tenha acesso indevidamente a dados pessoais do candidato”.

O Ministério diz ainda que encaminhou dados como a data, hora, local, operadora e IPs de onde partiram as mudanças de senha nos dois casos relatados pela imprensa e que todas as mudanças ficam gravadas em um log.