Desde o fim de 2010 pipocam na rede sites seguindo o modelo de compra coletiva, na onda de pioneiros como GroupOn, ClickOn e Peixe Urbano.

Já surgiram por aí o Clique Urbano, o Panda Urbano e até o Peixereca. Recentemente até o Google resolveu entrar na dança. Mas será que há mercado pra todo mundo? Duvido muito.

Seguindo um modelo que teve sucesso no mundo todo, no Brasil a ideia não tem sido tão bem implementada assim. O que mais se vê por aí são empresas aumentando o preço em 40% e fingindo que estão dando um desconto de 50% quando, na verdade, não passa de 10%.

Some-se a isso ofertas que quase sempre induzem o consumidor ao erro (pra não dizer que beiram a propaganda enganosa).

Recentemente, vi em um desses sites uma promoção de cachorro quente + petit gateau, mas o sorvete era cobrado a parte! E isso muito mal informado em letrinhas miúdas no site (parece piada mas é sério).

Até o momento que vi, 700 pessoas haviam comprado a promoção. Agora, imaginem 700 pessoas fulas da vida com essa promoção do estabelecimento.

Mas existem outros motivos que fazem com que esses sites não tenham uma previsão de vida muito longa:

Falta de planejamento
Como qualquer empresa um site de compras coletivas não pode pular o plano de negócios, o planejamento estratégico e o desenvolvimento/comunicação da marca, mas a maioria não sabe o que fazer daqui a 1 ano.

Marca x Compra por impulso
Como o segmento ainda é uma novidade não existe fidelização entre consumidores e marcas de compra coletiva. O motivador de compra ainda é o impulso, ja que o desconto que esses sites oferecem nunca são vistos fora dali.

Com o tempo, o consumidor pode simplesmente enjoar disso. Após a novidade e amadurecimento desse segmento, as marcas começarão a ganhar espaço na escolha dos consumidores, mas se os sites forem esperar chegar esse momento para investir na marca, já poderá ser tarde.

Layouts iguais
A grande maioria dos layouts de sites de compra coletiva são iguais sem nenhuma tentativa de inovação. Infelizmente, esse é o perfil do empreendedor digital brasileiro, um importador de receitas americanas. Apenas um copiador.

Busca somente por faturamento
Na maioria dos sites não existe um número máximo de vendas levando, muitas vezes, a um número de vendas fora do planejado, o que traz para os anunciantes um problema de logística para conseguir atender a todos os clientes.

Reclame Aqui
O Reclame Aqui, site que atende a reclamações de usuários, está lotado de reclamações de consumidores que compram serviços e produtos em sites de compra coletiva. Até o dia 26 de novembro, três sites de compra coletiva tinham, juntos, 1599 reclamações de clientes.

Segundo a maioria dos consumidores, o problema começa na hora de comprar, pois a maioria desses sites não tem infraestrutura para suportar o grande número de usuários comprando simultaneamente.

Muito menos recursos humanos suficientes para atender aos usuários, tanto por e-mail quanto por telefone. Se algo realmente não for feito logo, a tendência é que a maioria destes sites naufrague tão rapidamente quanto surgiram.

E você? Concorda? Ou acha que eles vieram pra ficar?

Almy Fróes, editor do blog Não Acredito, onde o texto foi publicado originalmente.