1. Resultados: Essa é a maior preocupação de um negócio, e deve ser visada em todos os âmbitos. Estruturar uma boa equipe e saber identificar bem o público consumidor do seu produto/serviço são fatos muito importantes e que permitem formar um bom histórico de resultados.

2. Engajamento de pessoal: O papel de uma pessoa dentro da organização tem que estar claro, sem tolir a criatividade nem engessar o profissional, de modo que se sinta motivado e sinta que faz parte realmente do negócio.

3. Atendimento: muito se fala sobre produtos inovadores, personalizados, etc. Porém, por incrível que pareça, pecamos na mais primitiva e básica ação de relacionamento, que é o atendimento.

Demora, descumprimento de prazos, desrespeito, canais que não funcionam, e outros pontos negativos podem comprometer as relações com os clientes.

Outro ponto negativo é que muitos negócios não evoluem por falta de entendimento do mercado consumidor, como acessá-lo, como satisfazê-lo, quais suas necessidades. Buscar esses conhecimentos e entender a concorrência e seus pontes fortes/fracos auxiliam neste processo.

4. Retorno financeiro: todo investidor quer retorno financeiro. Muito mais do que a realização profissional e pessoal que move o executivo ou dono do negócio, a investidor quer retorno financeiro mais atrativo que os investimentos tradicionais e de preferência num prazo não muito elástico. A paixão fica por conta de quem realmente está na operação.

5. Capacidade de realização: Mais do que a teoria, o que move o mundo são as ações. Portanto, a capacidade de realização é fundamental.

Já a ação tem que se apresentar de forma o mais eficiente possível e eficaz, pois no mundo em que vivemos hoje, a competência não é exclusividade de ninguém, a concorrência é acirrada e o tempo escasso.

6. Saiba correr riscos: Saber inovar é necessário. Seguir a massa nunca foi sinal de inteligência, pelo contrário, demonstra falta de uma visão, identidade e objetivo próprio. Cada empresa é uma entidade única, onde nem todas as receitas e práticas se aplicam a ela.

Entender sua cultura, seus pontos fortes e fracos, seus colaboradores, seus clientes, fornecedores, muitas vezes norteiam de forma mais precisa as ações estratégicas e mostram novos caminhos e correções.

7. Criatividade: inovação e criatividade é tema recorrente no cenário empresarial. Mas a ênfase maior se dá no desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Ocorre que o tema é muito mais amplo e abrangente, uma vez que temos que usar a criatividade na solução de problemas, na forma de trazer novas receitas, reduzir custos, para sermos mais produtivos, na busca de parcerias, novos negócios, novos mercados, criar novos canais de atendimento/ logística, etc.

Temos que tratar os “problemas” como oportunidades, seja de aprender, melhorar algo, criar, aperfeiçoar, corrigir. Se mudarmos nossa postura quanto ao entendimento e tratamento destas questões, abriremos um campo vasto e positivo para empregarmos a criatividade.

8. Networking: não tenha medo de buscar contatos. Muitas pessoas criam uma barreira quando o assunto é buscar novos contatos, com receio de não serem bem recebidos, aceitos, ou talvez por inibição. Costumo dizer que o máximo que pode acontecer “é dar certo”, uma vez que o pior cenário é o atual, ou seja, de não conhecermos as pessoas, não termos as informações que necessitamos. É o mesmo que digo aos vendedores!

O máximo que pode acontecer é o cliente fechar negócio, uma vez que atualmente não o temos. Isso nos torna menos ansiosos e diminui o peso de um eventual fracasso.

9. Aprender com os erros: o otimismo, a disciplina, foco e automotivação são as molas propulsoras para o “sucesso”. Já o fracasso, é algo que não acredito, uma vez que ao errarmos, na verdade estamos tendo uma excelente oportunidade de aprendizado, de melhorarmos, buscar novos caminhos.

O fracasso é não fazermos nada, não buscarmos progresso de forma alguma (intelectual, moral, financeiro, espiritual, físico, cultural), não sonharmos, não fazermos.

10. Felicidade e sucesso: atualmente nos deparamos com diversas receitas prontas para atingirmos o sucesso. Ora, somos únicos, cada qual com suas motivações, interesses, expectativas, sonhos, objetivos, etc. O que é bom para um, não é necessariamente para outro.

O melhor é buscarmos o autoconhecimento, motivações. A partir daí focamos nos nossos interesses e atravessaremos os problemas de forma mais branda e equilibrada.

11.  Inovação: Oferecer serviços inéditos ao consumidor e proporcionar experiências únicas, como forma de fidelização;

12.  Boa consultoria de negócios: Buscar uma consultoria renomada que preste serviço de gestão empresarial;

13.  Empatia, energia e valores: todo negócio envolve pessoas e na verdade sem elas não há evolução.  Portanto, é fundamental demonstrar ao investidor o comprometimento da equipe com o negócio e sua prosperidade, o quão motivador a atividade representa na vida destas pessoas e também as práticas e estratégias aplicadas.

Atrelado a isso, a resiliência, resistência a pressão, criatividade e velocidade de implementação e de correções, complementam a lista de quesitos.

*William Machado é Country Manager da TiqueImóveis.